terça-feira, 9 de abril de 2019

A minha música do momento



"Não é sobre chegar ao topo do mundo e achares que é teu
É sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu"

Soubesse eu escrever assim e diria que poderia muito bem ter sido eu a escrever esta letra. É a minha cara. A minha forma de encarar a vida. Sou eu.

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Se é para fazer, é para fazer agora


Posso fazer uma pergunta?
Quantos dos planos que tinham para 2019 já puseram em prática? O primeiro trimestre já passou. Alguma resolução concluída?
Este foi talvez o ano em que fiz menos planos, tracei menos objetivos, pedi menos desejos, Mas a verdade é que olho para trás e não mudou nada de um ano para o outro e eu quero mudar. Não aquilo que não posso mudar, aquilo que não depende de mim, mas tudo o que estiver ao meu alcance, aí sim, não há desculpas.
Não podemos ter o objetivo de dar a volta ao mundo num ano em que não temos condições para pedir uma licença sem vencimento. Mas podemos definir pequenas metas para conseguir agarrar grandes sonhos: fazer um compromisso sério de poupança; obrigar-nos a passar mais tempo com quem gostamos; impor a nós mesmos limites e meter na cabeça de uma vez por todas que não somos perfeitos nem um qualquer super herói.
Não podemos querer passar a ter empregada doméstica se não estiver na perspetiva um aumento salarial. Não há milagres! Mas podemos optar por um modo de vida mais minimalista, obrigar-nos a ter mais organização. A comprar menos e a dar o que não usamos.
Não podemos fazer uma lista enorme de restaurantes caros que queremos experimentar. Mas podemos fazer uma lista realista de um ou dois e deixar de gastar dinheiro numa hamburgueria qualquer para conseguir ir àqueles sítios melhores. Menos é mais.
Se é para fazer, é para fazer agora. E nada melhor que uma segunda-feira para arregaçar as mangas. Vamos a isso?
Quais os objetivos que traçam hoje?

segunda-feira, 1 de abril de 2019

O nosso fim de semana no Lago Azul



Ainda não acredito muito bem como cheguei aqui tão rápido, mas a verdade é que na sexta-feira fiz 40 anos! Incrível! Absolutamente incrível como a vida corre tão rápido!
Eu gosto muito de fazer anos. Quando era pequenina delirava assim que chegava o dia 1 de Março (coitados dos meus pais que me tinham que aturar quase em histeria durante um mês!), e confesso que agora, embora mais comedida, não estou assim muito diferente. Gosto de celebrar. Gosto de celebrar a minha vida e a dos meus. Gosto de planear. Gosto de pensar sempre em fazer algo que nos fique na memória. Ultimamente tenho optado por passar em viagem. Pensei em ir para mais longe, mas de repente descobri que todos, mas todos os miúdos sem excepção tinham teste nesse dia. Pensei em adiar os festejos para uma outra altura, mas caramba: 40 são 40 e tinha que fazer algo que não me esquecesse. E uma vez que os miúdos tinham teste e não podíamos fazer gazeta, então ficou decidido que iriamos para fora cá dentro só no fim-de-semana e se assim era, a Ginja iria connosco.
Por mero acaso encontrei os Apartamentos do Lago numa pesquisa rápida que fiz por Hotéis Pet Friendly. Os Apartamentos do Lago não são um Hotel, propriamente dito, mas têm todas as comodidades de um e bem cotado de estrelas!. Os apartamentos são lindos e ficam de frente para o maravilhoso Lago Azul, um braço do Rio Zêzere que nasceu da Barragem de Castelo de Bode. Com Piscina, Sauna, Ginásio, Bicicletas à disposição, Mini Golf, Parque Infantil e Corte de Ténis, o empreendimento tem ainda parcerias com o Clube Náutico para podermos dar grandes passeios no lago de Gaivota. Cada apartamento está super bem equipado, tem 2 casas de banho e varandas espaçosas onde não falta cadeiras e espreguiçadeiras. A casa de banho da suite tem uma janela gigante junto à banheira que convida a um banho de imersão memorável para tornar a estadia ainda mais especial e relaxante.
Claro que não conseguimos aproveitar tudo e quase que tive que sair dali com a promessa de voltar em breve para os miúdos entrarem no carro. Foram apenas dois dias, mas souberam a férias. Que lugar incrível! Que tempo maravilhoso que apanhámos! Sempre sol, calor, uma paisagem de cortar a respiração. Um sítio perfeito para estar e respirar fundo. Para ouvir o silêncio. Para descansar verdadeiramente. Há quanto tempo não se deixam estar em silêncio? Os miúdos andaram à vontade, em jogatanas de bola, a correr para o parque, na piscina, em passeios com a Ginja que andou sempre connosco (só não pôde ir à zona da piscina, algo que eu compreendo perfeitamente). Quem tem animais de estimação sabe o quanto é angustiante pensar em ir de férias e não saber onde deixar o bicho. Aqui, conseguimos estar todos e num sitio cheio de pinta!
Apesar de não ter pequeno almoço incluído, os Apartamentos oferecem um cesto com os essenciais para a primeira manhã: pão, croissants, tostas, manteigas, compotas, chá, café, leite, sumos e água o que fez com que pudéssemos usufruir de um pequeno-almoço hiper tranquilo em família, sem ter que sair à pressa à procura de um café qualquer.
Já que estávamos ali tão perto aproveitámos também para conhecer as redondezas: Dornes que tem uma distinção de 7 Maravilhas na categoria de Aldeia Ribeirinha e que há muito queria conhecer, e Tomar, da qual sempre tinha ouvido dizer bem, mas que estupidamente ainda não conhecia. Acertámos em cheio. Conseguimos conjugar o melhor da natureza e mais uma visita a um monumento nacional: O Convento de Cristo.
Conseguem ouvir o silêncio com estas fotografias? Soberbo! É um destino muito perto de Lisboa e vale a pena conhecer sem pressas e com vagar!

terça-feira, 26 de março de 2019

Naked Cakes - Quem gosta?

Faço anos daqui a pouquíssimos dias e ando a tentar encontrar um bolo que me inspire para meter as mãos na massa. Ultimamente só faço bolos de aniversário para os miúdos. Para mim ou não cantamos os parabéns e por isso passamos ao lado do bolo, ou compro sempre na mesma pastelaria e sem grandes invenções. Mas este ano apetece-me fazer um. Um que me fique na memória.
Para mim quando mais simples e menos artificiais, melhores são os bolos. Mesmo para os miúdos começo a pôr de lado a pasta americana que dá muito jeito para fazer bonecada, mas que é um desperdício de dinheiro porque é super pesada e ninguém come a cobertura.
Sou completamente fã dos chamados "Naked Cakes", bolos que atiram muito para os ambientes campestres e que ou são forrados a uma capa muito fina de chantilly ou queijo creme, ou deixam mesmo os recheio à vista. Gosto especialmente dos que conjugam flores com frutos vermelhos, mas a ideia de juntar macarrons também me agrada! Fazer uma mistura com as cores que mais gosto é bem capaz de ser a solução.
Para o recheio vou apostar em fruta fresca com queijo creme que fica muito fresco e me deixa com menos culpas nos dias a seguir!
Estes foram alguns dos bolos que encontrei em escassos minutos de pesquisa. Será que vou ter mesmo coragem de fazer algum?
Qual escolheriam?






segunda-feira, 25 de março de 2019

Lema de segunda-feira e de terça, quarta, quin...

hoje e todos os dias, sem intervalo, nem descanso.

sexta-feira, 22 de março de 2019

Celebrar a Primavera com ideias simples


3 meses. Passaram 3 meses desde que que escrevi aqui pela última vez. O Instagram vai-me saciando o vicio da partilha das minhas coisas, mas confesso que tenho umas saudades imensas de ter energia e tempo para escrever e publicar aqui. Já perdi a conta aos textos em rascunhos. Começo muitos, mas raramente os acabo ou pelo menos não os revejo para os poder publicar e saber que não têm erros. Os dias curtos do Inverno tiram-me a energia necessária de pegar no computador quando os miúdos já dormem. Os dias sucedem-se cada vez mais depressa e estamos na reta final de Março. Já é Primavera. A última vez que estive aqui tinham passado poucos dias do inicio do Inverno.
Será que é desta que ganho balanço. Será que consigo voltar?
Para já começo a sentir aquela energia boa de querer arrumar a casa, abrir janelas, fazer caminhadas e respirar mais profundamente. Mudar as receitas e começar a trocar as roupas nos armários.
É por isso que não resisto a compartilhar aqui estas espetadas de presunto, queijo feta e melão que descobri no sempre apetecível Pinterest. Confesso que não gosto de presunto, mas cá por casa tenho grandes apreciadores e por isso está na lista de coisas a fazer neste que é o primeiro fim de semana de Primavera. Para mim, vou trocar por salmão fumado com queijo feta e manga e assim farei um sortido para todos os gostos!
Que acham?

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

O Natal


Aborrece-me cada vez mais o consumismo desenfreado do Natal. O comprar por comprar. As filas de trânsito por onde quer que se ande. Os encontrões nas lojas. Os minuto de espera para comprar fatias douradas que estão mais pretas do que nunca porque são muitas as encomendas. A correria para casa dos avós sem ter tempo de atender o telefonema daquela amiga que passa o ano inteiro a aturar-nos.
Pode muito bem ser da idade, ou mesmo do meu mau feitio, mas contem cada vez menos comigo para Natais destes. De que serve comprar coisas para oferecer aos outros quando nem os vemos a abrir os presentes? Quando queremos é despachar a coisa que há toda uma cozinha para pôr em ordem? Mas  quando é que oferecer algo passou de prazer e satisfação a mera obrigação ou cumprimento de calendário?
Para mim Natal é partilha e as melhores coisas do meu Natal foram as manhãs dos domingos de dezembro em que fomos preparando tudo. Foram as músicas de Natal ouvidas enquanto fazíamos a árvore de Natal em conjunto. Foi fazer o presépio e contar a história mais antiga e fascinante do mundo. Foram os presentes feitos pelos meus filhos (na foto) enquanto a nossa Ginja tentava "roubar" sempre alguma coisa. Os serões a falar do que queríamos para sobremesa. Foi fazermos a mousse de chocolate, a baba de camelo, a mousse de lima e os brigadeiros a dez mãos: uns partem os ovos, outros batem as claras em castelo, outros fazer sumo de lima e outros vão à procura de pepitas e formas pequeninas. Foi estarmos os cinco na cozinha uns para os outros. A ouvir os outros. A rir à gargalhada com os bigodes deixados de quem rapava as tijelas! Isto é Natal.
Sim, eu também compro presentes. Sim, os meus filhos pedem este e o outro mundo. Sim, eles só falam da meia noite e contam todos os minutos para poderem abrir os presentes. Mas cabe-nos a nós travar-lhes esse consumismo e acreditem que eles preferem muito, mas muito mais que nos sentemos com eles no chão a explorar o brinquedo novo que acabaram de receber que a desembrulhar mais uma caixa. E o que eu adoro sentar-me no chão com eles a ver tudo de novo na manhã de dia 25 enquanto o tempo parece verdadeiramente suspenso.
Para mim Natal é dar atenção. É oferecer uma camisola e pedir à pessoa que experimente e ver se lhe ficou bem. É usufruir dos presentes dados. Não pode haver pressa para os arrumar, para a casa estar impecável porque no dia a seguir mais família vai chegar e não podemos ter nada fora do lugar. É ficar no chão no meio da criançada a ver o "Sozinho em casa" pela vigésima vez e já saber tudo de cor, mas continuar a rir com gosto! è sair de casa e levar uma sobremesa para o Natal de uma amiga de quem gostamos.  É comer o Arroz Doce que só a minha mãe sabe fazer tão bem e dizer mil vezes que está maravilhoso. É esperar ouvir alguém perguntar a receita do que levámos e ficar na expectativa do que os outros levam para partilhar.
É estarmos lá, verdadeiramente.