segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Licença de maternidade é, precisamente, licença de maternidade

Não há grande volta a dar e é sempre assim. Pelo menos eu já vou na terceira e nada muda. Quando estamos prestes a entrar em licença de maternidade, ou baixa de parto como alguns gostam de chamar, fazemos mil e um planos. Vou aproveitar, enquanto estiver em casa com o bebé, para pôr a leitura em dia, ver finalmente a montanha de filmes que tenho em atraso, escrever umas coisa, dar volta ao roupeiro, que esta casa está uma desarrumação e até encetar um plano de refeições saudáveis. Claro, tudo isso para além de ir ao ginásio, ao cabeleireiro, às massagens e às compras. Enquanto as outras trabalham sempre dá para escolher melhor o que comprar nas lojas. Mentira. Tudo isto não passa de um engano redondo. A licença de maternidade é precisamente licença de maternidade. Para cuidar do bebé e às vezes parece que as 24 horas do dia não chegam. É o leite, os arrotos, os cocós, a cólicas, os banhos, as constantes mudas de roupa, as pilhas de roupa para lavar e consequentemente para passar e, acima de tudo, os mimos. São largos os minutos que se perdem (ou ganham!) a olhar para um bebé. A dar beijos, colos, festas. A cantarolar, a embalar, a rir e até por vezes a chorar. E, bem vistas as coisas, não é isso o que mais conta nesta vida?

Um comentário:

Sof Enes disse...

e levar a bebé ao jornal, para as queridas tias poderem babar e mimar a baby mai nova... para quando?? Beijos saudosos