quarta-feira, 19 de março de 2008

Enquanto o Grand Chapiteau não chega, vemos as fotografias



A cerca de um mês da instalação do Grand Chapiteau do Cirque du Soleil no Passeio Marítimo de Algés, a prestigiada companhia brinda-nos com algumas fotografias sobre os seus bastidores, presentes no Oeiras Parque. Definitivamente não sou nada fã de centros comerciais, mas não podia ignorar esta exposição, que já fiz questão de ver, não só porque considero o trabalho do Cirque du Soleil absolutamente apaixonante, como também gosto muito de fotografia. Assim sendo e com o tempo que está, a chamar-nos para dentro de quatro paredes, pois que não tinha outro remédio senão recomendar-vos para passarem por ali. As fotografias foram capturadas em Dezembro, durante a passagem da companhia pelo México, com o espectáculo “Quidam”, o mesmo que agora trazem a Lisboa, já a partir de dia 18 de Abril. São imagens que nos revelam os momentos de descontracção daqueles artistas. Momentos de conversas entre os treinos, mas também os segundos de concentração e os trabalhos de maquilhagem que antecedem a entrada em cena de cada um deles. São um aperitivo para aquilo que podemos encontrar a partir do próximo mês. No latim “Quidam” significa transeunte solitário, mas a verdade é que em Lisboa vai ser uma multidão que vai esperar pela vinda desta magnífica, para muitos a melhor, companhia de circo do mundo. Com bilhetes entre os 35 e 95 euros, as sessões acontecem de terça-feira a sábado, às 21h30, sábados também às 17h30, e domingos, às 16h30 e 20h30. Tomem nota!