sexta-feira, 14 de março de 2008

“A Ronda Noturna” encena a degradação das relações humanas



É magnifico o desempenho de Luísa Cruz na peça que o ACE Teatro do Bolhão, traz a partir da próxima quarta-feira, dia 19 de Março, ao palco do Teatro Maria Matos. “A Ronda Nocturna” de Lars Norén, tem encenação de João Paulo Costa e é uma peça extraordinária sobre a degradação das relações humanas. Em palco estão dois casais, com casamentos conturbados, como muito conturbadas são as suas próprias cabeças. Os dois homens são irmãos. Apenas de sangue, porque nem um nem outro está interessado em ter mais algum tipo de afinidade. Encontram-se no dia do funeral da própria mãe e a dor de perder a pessoa mais importante do mundo na vida de qualquer um é o mote para alguns desvarios. Desvarios que afinal não passam de um quotidiano rotineiro. Em cima da mesa de centro da sala de John e Charlotte (António Capelo e Luísa Cruz) está a urna com as cinzas da falecida, mas os diálogos, os gestos, as atitudes não se enquadram no cenário fúnebre. Com um elenco muitíssimo coeso: a António Capelo e Luísa Cruz juntam-se Custódia Gallego e Orlando Costa, muito conhecidos do grande público, não só pelo teatro, mas também por vários projectos de televisão, a peça é muito forte e leva-nos a conhecer uma “intimidade perturbante”, como diz a produção. Eu já vi e gostei muito mesmo. Atenção que a peça tem três horas de duração, mas nunca, nunca, se torna saturante. Marquem na agenda. Em cena em Lisboa até dia 13 de Abril, “A Ronda Nocturna” pode ser vista de quarta a sábado, às 21h30, e aos domingos pelas 17 horas.

2 comentários:

Fenrisar disse...

This comment has been removed because it linked to malicious content. Learn more.

com senso disse...

Vi a peça e concordo consigo quando fala no desempenho brilhante de Luisa Cruz.
O tema é de facto interessante, mas seja do texto original, seja da adaptação, torna-se longo de mais e a última meia-hora parece que as cenas são meras versões de cenas já vistas.
Os actores devem ter acabado a peça extenuados, mas pelo ranger das cadeiras os espectadores também já estavam decerto muito cansados.
Para quem já viu Quem tem medo de Virginia Woolf esta é uma peça menor.
È como a outra uma peça para grandes actores. Contudo só Luisa Cruz se consegue aproximar desse nível....