quarta-feira, 16 de maio de 2012

Não gosto mesmo nada disto


De todas as vezes que oiço este anúncio na TV fico paralisada, a olhar, a conferir. Não gosto mesmo nada do anúncio. Se a ideia é chocar de tal maneira para se falar nele, a missão foi cumprida. Mas e o resto? A responsabilidade social? O que fica dentro da cabeça dos pais? Eu sou mãe de três e, por acaso, fiz a criopreservação das células estaminais. Tive possibilidades para isso. Só fiz da minha terceira filha: na primeira gravidez pouco ou nada se falava sobre isto; na segunda gravidez parti do pressuposto que se não tinha feito na primeira, não faria na segunda, ignorando que a recolher de um, dá para os irmãos, com grande, grande probabilidade. Na terceira gravidez e depois de ter inclusivamente participado numa sessão de esclarecimento e de ter pedido opinião a vários médicos, fiz a pensar nos meus três filhos. Espero, como todos os pais esperam, que tenha sido dinheiro deitado à rua. Que nunca venha a precisar de mexer na recolha. Mas fazer a recolha das células estaminais não é gratuito, não é barato, não é acessível a todos. Dizerem no anúncio se estamos preparados para aquela pergunta é patético. É horroroso. Quem não faz a recolha das células estaminais não menos pai ou mãe por isso. Não ama menos os filhos. Não tem por eles um amor menos incondicional. Há pessoas que não têm mesmo dinheiro para fazer isto. Se é um processo tão credível, tão fundamental, acho que tinha que estar mais acessível. Ou porque não, fazer parte integrante do processo do parto. Afinal, é algo que não complica o trabalho, não implica mais nenhuma profissional de saúde. Só implica um banco de depósito, mais nada. Os pais que teriam de responder: "não, não guardei as tuas células", não iriam responder: "porque na altura não tinha dinheiro, porque era caro, porque estava desempregado e era mais importante dar-te leite, sopa e roupa para vestir". Os pais que não tiverem este recurso, numa situação de tragédia vão morrer de medo, afogar-se no desespero, não precisam que se brinque assim com os sentimentos deles.
Eu não gosto mesmo nada, nada, deste anúncio.

3 comentários:

Sofia Enes disse...

Eu não fiz a recolha... com o zé, pouco se falava disso; com a Maria, havia muitas incertezas sobre a criopreservação das células estaminais... falei com a médica e na altura ela não se mostrou confiante no processo, e eu deixei passar...

Ana Raquel Oliveira disse...

Mesmo agora, quando nasceu a Matilde, todos os médicos com quem falei disseram o mesmo: não haver ainda grandes certezas. Mas, como tudo se desenvolve tão rapidamente, se havia essa possibilidade de fazer, então porque não fazer. E eu fiz. Acho que este anuncio poderia funcionar bem para quem é dador de medula óssea. Porque não depende da bolsa de ninguém, só da vontade...

Unknown disse...

Eu optei pelo priavado. Mas já existe banco de células estaminais públicas, com algumas diferenças...
http://www.chnorte.min-saude.pt/lusocord.php